O Agro do Futuro em Debate

Evento promovido pelo WTC São Paulo e pela SAP vai discutir o potencial da digitalização do setor


04.03.21

Clique aqui para se inscrever.

Quando se vê o extraordinário resultado obtido por agricultores e pecuaristas brasileiros, nem sempre se enxerga a impressionante máquina que se movimenta para garantir, por exemplo, a produção de mais de 230 milhões de toneladas de grãos em uma única safra. É coisa de gente grande – e sofisticada na condução de seus negócios. Nos bastidores do agronegócio brasileiro, acontece simultaneamente uma corrida da modernização dos sistemas de gestão, com a implantação de ferramentas digitais avançadas que sustentam o crescimento do setor.

A transformação digital do agro tem sido, nos últimos anos, o diferencial de empresas líderes de vários segmentos para gerar mais eficiência e sustentabilidade aos seus negócios. Apresentar alguns desses cases e debater o impacto do uso de tecnologia nas empresas agroindustriais é o propósito do evento online “AGROTECH: O futuro da indústria que alimenta o mundo!”, que acontece no próximo dia 11, das 10h00 às 11h30. Organizado pelo WTC São Paulo Business Club e SAP Brasil, com o patrocínio da Intel Corporation e apoio da Plant Project, o encontro trará nomes de destaque no cenário da tecnologia aplicada ao agronegócio, como o presidente da Coopercitrus, Fernando Degobbi, e o CIO da Bunge, Fernando Brocaneli, que apresentarão os cases de sucesso de suas empresas.

Na abertura do evento, Plinio Nastari, fundador e presidente da Datagro, uma das mais importantes consultorias agrícolas do país, falará sobre as tendências no uso da tecnologia no agronegócio. Em seguida, a presidente da SAP Brasil, Adriana Aroulho, apresentará o cenário das soluções de gestão voltadas para o agro e como elas podem contribuir para o desenvolvimento do setor no Brasil.

Conduzida pela moderadora Patricia Maldonado, uma mesa redonda com Degobbi e Brocaneli abordará questões sobre como digitalizar e agregar valores às cadeias produtivas, como a revolução tecnológica vem impactando os negócios, infraestrutura, ferramentas, gestões de dados e o papel da tecnologia na busca pela eficiência.

COOPERATIVA DIGITAL

Os dois executivos comandam dois dos mais bem sucedidos exemplos de transformação digital no Brasil. A Coopercitrus, com sede em Bebedouro (SP), instalações em 77 municípios e cerca de 150 unidades de negócios em diversas áreas da cadeias produtiva, é uma das maiores cooperativas do Brasil, com 37 mil associados. Nos últimos 10 anos, a empresa cresce a uma taxa anual de 20%, graças à diversificação de portifólio, com foco nos cooperados, e na disponibilização de serviços, com o uso de tecnologia. “A sustentabilidade determinante na cultura 5.0 só se atinge com tecnologia, monitoramento, processos mais eficazes e utilização racional de recursos. Precisa ter gente com capacidade e tecnologia com capacidade para suportar”, afirma Degobbi.

Há cerca de um ano a Coopercitrus colocou em ação o Projeto Germinar, com o objetivo de unificar os dados de suas diversas operações em uma plataforma única. O sistema escolhido foi o SAP S/4HANA, da SAP. “Encontramos na SAP uma empresa com capacidade de entregar solução que atendesse à nossa necessidade”, diz o executivo. A Coopercitrus foi a primeira cooperativa a adotar um processo de governança e se tornou um modelo de digitalização para outras. Com o novo sistema, a Coopercitrus consegue ter uma visão completa do relacionamento do cooperado com suas diversas áreas, permitindo um melhor atendimento às suas demandas, seja no campo produtivo, seja no financeiro. A transparência nas ações dos gestores da cooperativa também fica maior, melhorando o nível de informação e a fidelidade dos associados.

Assista ao vídeo sobre o Projeto Germinar na série “O que A SAP está fazendo aqui”.

LOGÍSTICA E CONEXÃO

Para a Bunge, multinacional com sede nos Estados Unidos e que tem no Brasil uma de suas maiores operações na originação e comercialização de commodities agrícolas, a digitalização tem contribuído para aumentar a eficiência, por exemplo, em frentes como a conexão com produtores, a gestão da logística de cargas e também na rastreabilidade das commodities comercializadas. A Bunge utiliza soluções da SAP em nível global, mas customizou algumas delas para a atuação no Brasil.

Junto ao produtor, os desafios enfrentados com inovação estão relacionados a etapas como recebimento de matéria-prima, pesagem e pagamento para os fornecedores. Com as informações coletadas de forma digital e integradas em uma única plataforma, as informações são acessadas de forma mais rápida e com maior confiabilidade, permitindo maior controle da rede de fornecimento.

Um dos pontos abordados por Brocaneli, assim, será o uso da tecnologia para ajudar a empresa a ter rastreabilidade e controles para ser cada vez mais sustentável. Da mesma forma do que acontece na relação com os fornecedores, a conexão com motoristas de caminhões para agendamento dos fretes de matéria prima permite, além de dar mais eficiência aos processos e gerar economias a ambas as partes, gerar um maior controle de cada etapa da cadeia produtiva.

 

Para acompanhar evento “AGROTECH: O futuro da indústria que alimenta o mundo!”, inscreva-se clicando aqui.

 

Confira a programação:

AGROTECH: O futuro da indústria que alimenta o mundo!

Data: 11 de março, das 10:00 às 11:30

 

Agenda

  • Abertura, com Patricia Maldonado
  • Apresentação: O cenário atual do agro e a tecnologia no setor – Plinio Nastari, presidente da Datagro
  • Apresentação: A estratégia da SAP para o agronegócio – Adriana Aroulho, presidente da SAP Brasil
  • Mesa Redonda com Fernando Degobbi (Presidente da Coopercitrus, Fernando Brocaneli(CIO da Bunge), Adriana Aroulho e Patricia Maldonado

TAGS: Adriana Aroulho, Agronegócio do Futuro, AgTech, Bunge, Coopercitrus, Fernando Brocaneli, Fernando Degobbi, Plinio Nastari, SAP