Odebrecht Agroindustrial muda de nome e passa a se chamar Atvos

Empresa é a segunda do grupo a adotar estratégia de reposicionamento de marca


12.12.17

Uma das maiores companhias do setor sucroenergético do País, a Odebrecht Agroindustrial passa a se chamar, a partir dessa quarta-feira 12 de dezembro, Atvos. A mudança de nome e a criação de uma nova marca corporativa foi definida há uma semana pelo Conselho de Administração e conclui um processo de discussões em torno do reposicionamento da empresa, que completou dez anos de atuação em 2017. Segundo nota emitida pela Atvos, “o novo posicionamento está em linha com o planejamento da empresa para os próximos anos, que contempla a necessidade de novos investimentos para fazer frente ao crescimento e aos novos desafios do setor sucroenergético”.

A nova marca da companhia

A Atvos tem capacidade de moagem de 36 milhões de toneladas de cana, suficientes para a produção de 3 bilhões de litros de etanol, 700 mil toneladas de açúcar e a cogeração de 3,1 mil GWh de energia elétrica por safra. Nos seus dez anos de atividades, realizou investimentos somados de mais de R$ 12 bilhões, tornando-se um dos principais agentes econômicos nas regiões onde atua. Atualmente, gera mais de 11 mil empregos diretos e 30 mil indiretos em quatro estados brasileiros (Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e São Paulo).

Para construir o novo conceito, a empresa realizou um estudo profundo de como era vista por seus stakeholders e como eles a projetavam no futuro.  “O mundo vive um cenário de muitas oportunidades relacionadas à matriz energética limpa e à economia de baixo carbono, o que aumenta o protagonismo do Brasil e da cadeia produtiva nacional. Sabemos da nossa responsabilidade de potencializar o biocombustível e, consequentemente, o desenvolvimento sustentável. Temos que nos preparar para estes desafios”, explica Luiz de Mendonça, presidente da Atvos.

“Surgimos com o propósito de participar da transformação do setor sucroenergético. Amadurecemos, crescemos operacionalmente e tivemos avanços empresariais significativos. Temos orgulho de contar com algumas das maiores e mais modernas unidades produtivas do setor. Agora, precisamos criar novos caminhos para darmos um novo salto”, acrescenta. 

A Agroindustrial é a segunda empresa do grupo Odebrecht a promover um reposicionamento, com mudança de marca, este ano. A mesma estratégia — que visa a dar independência aos negócios do grupo e desvinculá-los da marca da holding, envolvida na Operação Lava Jato — foi antes aplicada à área imobiliária, rebatizada para OR.

 

TAGS: Atvos, biocombustíveis, Bioenergia, Odebrecht Agroindustrial