Injeção de ânimo

Coluna A REVOLUÇÃO DAS MÁQUINAS - Por Marco Ripoli


24.04.20

Marco Lorenzzo Cunali Ripoli, Ph.D. é Engenheiro Agrônomo e Mestre em Máquinas Agrícolas pela ESALQ-USP e Doutor em Energia na Agricultura pela UNESP, executivo, disruptor, multiempreendedor, inovador e mentor. Proprietário da BIOENERGY Consultoria e investidor em empresas. Acesse www.marcoripoli.com

O agronegócio brasileiro mais uma vez encontra oportunidades em momentos de crise de saúde e econômica mundial.  A cadeia de valor vem mostrando sua grandeza, mesmo sofrendo constantes ataques e menosprezo de elementos da sociedade e entidades chulas.  Lembro que em nenhuma ocasião faltaram alimentos nas gôndolas dos mercados, como muito se falou, e o setor continua trazendo divisas para a nação.

Resgatamos nossos valores e credibilidade!  Mostramos que os produtos “Made in Brazil” são confiáveis e que temos a capacidade de abastecer o mundo!  Escutamos semanalmente notícias de países assinando novos contratos de compra produtos brasileiros, como carne, por exemplo.  É hora de vendermos mais e começarmos a colocar algumas novas regras no jogo do trade mundial.

Me perguntam sobre a retomada econômica e como ela esta ligada a pandemia. Bom, hoje estamos todos no mesmo barco e a resposta é um tanto óbvia: quanto antes sairmos da pandemia mais rápido será a retomada. Porém isso deve acontecer de forma calculada!  Para mim apenas em 2021 o mundo retoma…

Uma das campanhas que venho apoiando é o aumento do consumo do etanol hidratado para abastecimento da frota de carros flex.  O setor Sucroalcooleiro vem sofrendo sua maior crise, com custos de produção mais altos que os preços nas bombas. Ninguém aguenta!  Por hora, esqueça a paridade da bomba de gasolina e abasteça com o produto nacional, não ligado ao petróleo, limpo, renovável e que emprega centenas de milhares de profissionais.

De acordo com recente anúncio do Ministério da Agricultura, o VBP 2020 (Valor Bruto da Produção) do agronegócio estimado para este ano será próximo a US$ 690 bilhões, 7,6% acima do valor de 2019.  O produtor rural está a mil e pode ir mais rápido e longe se pudermos antecipar o Plano Safra em dois meses, no início em maio.  O Agro está trabalhando firme e precisa ter confiança e previsibilidade do apoio financeiro para comprar de seus insumos, pois com isso no ano que vem ele vai plantar e colher mais ainda.

Ainda falta o reconhecimento por tudo que se vem fazendo ao país! A título de informação, nos últimos 10 anos o setor agropecuário gerou um superávit de US$ 1 trilhões, valor este equivalente a três vezes as reservas cambiais do Brasil.  Mesmo assim, ainda está muito difícil conseguir recursos financeiros, pois a disposição de entidades para emprestarem está cada vez menor.

Com muitas das indústrias mundiais em dificuldade e economias colapsando, o local onde se encontram oportunidade no curto prazo para investimentos é no Agro!  Outro exemplo é o boom da AgFoodTechs, que cada vez mais vem trazendo novas soluções, maneiras, ideias para um novo normal.  A digitalização do Agro ia de fato  acontecer, porém ninguém esperava e estava preparado para que fosse de maneira tão rápida e “goela abaixo”!  Vamos tirar proveito disso.

Volto a tocar no tema da conectividade rural, que se torna essencial para poder dar movimento ao motor da inovação e aplicação destas novas tecnologias, principalmente nas áreas menos ou não assistidas por coberturas de operadores de celulares. Menos de 2% do país tem algum tipo de cobertura de celular…  Não dá para acreditar.

É hora de o produtor rural investir o que puder em sua propriedade, tendo em vista que vai colher uma super safra este ano.  Com o dólar compensando as quedas dos preços em Chicago (CBOT), os fertilizantes derivados do petróleo estão 20% mais baratos que no ano passado. Outros insumos também se beneficiam.

Para o que vem pela frente, a sugestão é:

  • Proteja o seu caixa e não pegue dinheiro nos bancos.
  • Pague todos os seus compromissos financeiros e proteja seu crédito.
  • Invista no seu próprio negócio.
  • Pratique solidariedade!

O Brasil já é líder na agricultura tropical, passamos de importadores de alimentos, equipamentos e tecnologias para fornecedores mundiais, graças ao trabalho árduo de todos os envolvidos e entidades como a EMBRAPA. Amanhã, iremos utilizar tudo que aprendemos no desenvolvimento e ajuda de novos países, como no continente africano.

O Agro é essencial. Vírus se combate com anticorpos. Saúde se ganha com alimentos!

Que bom ser brasileiro, que bom ser agricultor!

O Agro não para!

TAGS: Agfoodtech, Agro, Conectividade, COVID-19