Mallmann X Braseiro, uma Copa América dos cortes

Coluna HISTÓRIAS DA BOA CARNE - Por Eduardo Krisztán Pedroso


01.05.18

Eduardo Krisztán Pedroso é zootecnista pela FZEA-USP; Especialista em gestão da qualidade e segurança dos alimentos pela FEA/UNICAMP; MBA em Gestão Comercial pela FGV; Diretor Executivo de Originação da JBS e há mais de 25 anos, estudioso, churrasqueiro e amante da boa carne

Qualidade da carne brasileira avança e nada deixa a desejar aos saborosos cortes uruguaios

Em menos de duas semanas, mais de 2.600 km percorridos, duas incríveis oportunidades de celebrar a excelência do churrasco gourmet. Régua elevada e alto padrão de qualidade.

Domingo de Páscoa, Pueblo Garzón (Uruguai). Após a colheita manual de uvas na bodega Garzón, partimos para um requintado almoço ao ar livre, preparado por um seleto time de mestres do churrasco comandados por nada menos que Francis Mallmann, renomado Chef Argentino, famoso por seus pratos preparados às labaredas do “Menu de Fuegos”.

Sábado, 14 de abril, Cuiabá (Mato Grosso). Menos de 15 dias após esse memorável evento, eu desembarcava na cidade com endereço certo: participar do Festival Braseiro.

A experiência exclusiva do Vendimia 2018 sob as mãos de Mallmann havia sido fantástica. Memorável. Início de outono de clima agradável, mesa posta ao ar livre, taças de cristal e facas francesas “laguiolle”. Apenas 150 pessoas. Excelente menu degustação, harmonizado com uma impecável seleção de vinhos uruguaios e música ambiente.

Já no Braseiro a pegada foi outra, porém igualmente contagiante. Em mais de 40 estações de churrasco, voluntários trabalharam duro para servir com maestria os mais de 3.000 participantes do evento.

Ao perguntar a um dos churrasqueiros qual o segredo do sabor, suculência e maciez daquela carne, ele respondeu sem hesitar: “Carne de alta qualidade produzida com sustentabilidade aqui no MT e preparada com muita alegria”.

Alegria de celebrar a boa carne.

Alegria de servir.

Alegria de ser voluntário em uma causa nobre com propósito de destinar 100% da receita líquida do evento a projetos beneficentes regionais.

Harmonização no Braseiro, a base de chopp Louvada Artesanal, de origem igualmente mato-grossense. Oportunidade de reencontrar e brindar com bons e velhos amigos.

As dezenas de estações de carne e bicos de chopeiras estrategicamente posicionadas garantiram o conforto de todos os participantes durante mais de 10 horas de open bar & open high quality meat, sem filas e show de música sertaneja.

Da tradição dos cortes especiais uruguaios ao Braseiro de lenha. Carnes premium que nada deixam a desejar umas das outras. Muito pelo contrário, a mostra da capital cuiabana foi um show!

Com Francis Mallmann, no Uruguai

Nos dois eventos, a unanimidade do alto astral proporcionado pelo ambiente do churrasco. Pessoas satisfeitas e felizes. Comendo, bebendo e se divertindo.

Uma vez escutei uma frase que recorrentemente não sai do meu pensamento: o paladar não retrocede. Qualquer pessoa, independentemente de sua origem, etnia, classe social ou nível cultural, ao ter a chance de experimentar a boa carne, preparada com respeito e técnica adequada, aciona um gatilho cerebral irreversível: quando será o próximo churrasco?

Fica somente uma certeza: a do sabor de quero mais.

TAGS: Carnes, Eduardo Pedroso, Francis Mallmann