Novidade no mercado canavieiro

Coluna A REVOLUÇÃO DAS MÁQUINAS - Por Marco Ripoli


27.08.20

Marco Lorenzzo Cunali Ripoli, Ph.D. é Engenheiro Agrônomo e Mestre em Máquinas Agrícolas pela ESALQ-USP e Doutor em Energia na Agricultura pela UNESP, executivo, disruptor, multiempreendedor, inovador e mentor. Proprietário da BIOENERGY Consultoria e investidor em empresas.  Acesse www.marcoripoli.com

A Jacto, empresa brasileira que há 72 anos tem contribuído para a agricultura e com o olhar voltado para o futuro, se posicionou recentemente em novos segmentos do mercado com apresentação de produtos e tecnologias para plantio, pulverizador autônomo e colheita de cana-de-açúcar.  A entrada em novos segmentos de mercado faz parte das estratégias da companhia para o crescimento no Brasil e no mundo.

A nova colhedora de cana da empresa vem com o propósito de proporcionar mais produtividade e economia, uma vez que tem o diferencial de colher simultaneamente duas linhas, com potencial redução de até 35% no consumo de litros de combustível por tonelada de cana colhida.  Este é um segmento de produtos iniciado pela John Deere, que pela primeira vez lançou uma verdadeira colhedora de cana de duas linhas simultaneamente, a CH950.

A HOVER 500 tem o design diferenciado da plataforma de colheita flutuante na parte frontal da máquina, que permite que a colhedora se adapte às irregularidades do solo, proporcionando um corte de maior qualidade, na altura adequada, diminuindo as perdas e preservando a integridade do canavial.  Entre outros diferenciais inovadores, destaca-se o sistema de limpeza mais eficiente, com ventiladores radiais sopradores que limpam a cana em duas etapas.

Outro ponto destacado é a redução de compactação do solo ao transitar somente em metade das entre linhas que a colhedora de uma linha transita. Esta redução da compactação do solo proporciona a preservação da soqueira da cana e um maior número de cortes do canavial, com redução de investimento em renovação.

Um novo sistema de limpeza, onde a ventilação é gerada por dois ventiladores radiais sopradores, em um arranjo que permite limpar a cana em dois estágios, foi instalado dentro da câmara de limpeza. Isso confere maior eficiência de limpeza, otimizando o consumo de combustível se comparado ao sistema convencional por exaustão.

A colhedora possui bitola dimensionada para andar exatamente nas entrelinhas dos plantios convencionais de cana 1,4×1,4m e 1,5×1,5m, alinhados aos locais de trânsito dos tratores e transbordos.  Desta forma, de acordo com os responsáveis pelo projeto, todos os equipamentos trafegam sobre o mesmo rastro.  Em comparação com as colhedoras de uma linha, a Hover 500 confere uma redução de 60% na área compactada.

Sua plataforma de colheita foi concebida de forma aos equipamentos de corte e alimentação estarem ligados ao chassi principal da máquina por meio de braços articulados, configurando uma plataforma de colheita, que se movimenta de modo independente e automática em relação à máquina.

Assim, é possível se adaptar às variações do perfil do solo, tanto no sentido de caminhamento de colheita quanto no sentido transversal à máquina, proporcionando um corte rente ao solo nas duas linhas de cana colhida, evitando as perdas no corte da base da cana e diminuindo os danos e os arrancamentos das raízes.

Outro segmento em destaque é o de serviços, reunido no Ecossistema Digital da Jacto, a plataforma Jacto Connect…

Estou muito curioso para ver esta máquina em campo e podermos compará-la com as demais detentoras de mercado.  É no campo que as soluções se comprovam, então vamos aguardar!

(Informações retiradas do site da empresa)

O Agro não para!

TAGS: Hover 500, Jacto