REVOLUÇÃO COMEÇA COM PoC e PoV

Coluna A REVOLUÇÃO DAS MÁQUINAS - Por Marco Ripoli


14.09.18

Marco Lorenzzo Cunali Ripoli, Ph.D. é Engenheiro Agrônomo e Mestre em Máquinas Agrícolas pela ESALQ-USP e Doutor em Energia na Agricultura pela UNESP, executivo, disruptor, empreendedor, inovador e mentor. Proprietário da BIOENERGY Consultoria, da ENERGIA DA TERRA empresa de alimentos saudáveis e investidor em empresas.

Superar a concorrência e melhor atender o cliente são temas comuns no dia-a-dia das empresas e no agronegócio.  Para que isso aconteça, é necessário um processo constante de inovação de portfólio, principalmente quando falamos de soluções IoT (Internet das Coisas).

Infelizmente, por trás da inovação existe uma triste realidade: grande parte dos novos projetos nem sequer passa da fase da descoberta inicial ou mesmo da Prova de Conceito (PoC).

De acordo com analistas, mais de 75% de todos os projetos de IoT iniciados no mundo estão dentro desta estatística. Mas como mudar isso?  Teremos em 2020 mais de 50 bilhões de dispositivos conectados (incluindo máquinas e equipamentos) no mundo.  A melhor forma de garantir o sucesso é realizando PoCs de forma adequada e demonstrando o valor via conceito de Prova de Valor (PoV).

Podemos citar cinco práticas que contribuem para o sucesso de novos projetos de produtos conectados.  São elas:

1.Construir e demonstrar o valor do produto

Muitas empresas se preocupam em garantir a viabilidade técnica do projeto antes mesmo da viabilidade do negócio.  As PoCs são de responsabilidade dos departamentos de engenharia de produtos e os times de negócios (ex. comercial), na maioria das vezes, não são envolvidos, o que ao meu ver é um erro.  Envolver o comercial desde o início do projeto é construir em conjunto uma PoV em que aumentam as chances de sucesso. É preciso convencer todos dos benefícios daquele projeto — tarefa mais difícil do que apenas provar a viabilidade técnica do produto.

2.Qualidade e precisão dos dados

Leia também:Não Há Futuro Sem Conectividade

Para iniciar uma PoC de qualidade, buscam-se dados de clientes (de atendimento ao cliente ou armazenados em máquinas e equipamentos etc.) de alta qualidade, o que muitas vezes não é possível, principalmente devido a limitações orçamentárias. Deve-se ter cautela com os dados a serem utilizados, para não mascarar os resultados.

3.Verificar a escalabilidade

O uso de simuladores que repliquem corretamente o comportamento da solução para obter resultados precisos é fundamental, pois a extrapolação simplesmente por si só não é suficiente. Por outro lado, o uso de simuladores aumenta os custos do projeto e devem ser distribuídos de forma a proporcionar melhor resultado para desenvolver a PoC.

4.Invista tempo e recursos

As PoCs normalmente são feitas com restrições de tempo e custos.  Se você fizer uma PoC de oito semanas e esperar que os resultados sirvam para ditar a sua estratégia de longo prazo, você pode iniciar um projeto que comprometerá sua atuação no futuro.  Sabe por quê?  Esse tempo não é o suficiente para fazer o nível de diligência necessária para uma estratégia de longo prazo.

5.Esforço multidisciplinar

A Prova de Conceito deve ser um processo multidisciplinar desde o início. Na maioria das vezes um projeto é bem sucedido quando a equipe de vendas entrega ao cliente o que ele realmente precisa e valoriza.  Raramente, como já mencionado, se começa um projeto com o envolvimento de outros times e/ou departamentos.

Quanto maior o cuidado no início do processo de desenvolvimento de uma solução, maior a sua chance de sucesso.

O Agro não para!

Clique aqui para conferir todas as #ColunasPlant.

TAGS: PoC, PoV