Megaqualidade posta à prova

Coluna HISTÓRIAS DA BOA CARNE - Por Eduardo Krisztán Pedroso

“Quem mal lê, mal ouve, mal fala, mal vê”

Monteiro Lobato


12.06.18

Eduardo Krisztán Pedroso é zootecnista pela FZEA-USP; Especialista em gestão da qualidade e segurança dos alimentos pela FEA/UNICAMP; MBA em Gestão Comercial pela FGV; Diretor Executivo de Originação da JBS e há mais de 25 anos, estudioso, churrasqueiro e amante da boa carne. Instagram: @eduardokpedroso

Era final da tarde de quinta-feira, 7 de junho. Terminava o carregamento de mais de 800 kg de carne premium em Goiânia, em um caminhão dedicado a uma tarefa especial: viajar 620 km até o município de Água Boa – MT e servir de câmara fria para suprir a demanda do megaevento dedicado ao cruzamento industrial liderado pela família Leopoldino.

Agenda intensa de trabalho, reuniões técnicas, dia de campo, relacionamento com a elite da pecuária intensiva do gado de corte, ação de responsabilidade social e leilão megacruza, com oferta de mais de 7 mil bezerros meio sangue e tricross (cruzamento de três raças), criteriosamente selecionados no Vale do Araguaia mato-grossense.

Sexta-feira, hora do almoço: encomenda entregue e merecida recepção ao motorista, água fresca e boa comida.  Na parte da tarde, o esperado momento de abrir o baú do caminhão e revisar a encomenda — kit completo com todos os cortes equivalentes a seis novilhas produzidas lá na Fazenda Floresta. Isso mesmo, lá na fazenda do mirante do lago, tema de artigo desta mesma coluna publicado recentemente.

Leia também: 15 anos, 15 meses, 15 dias

Os irmãos Abel e João Leopoldino são incansáveis na continuidade do projeto iniciado pelo irmão deles no MT. O Tinho, infelizmente sofreu um acidente fatal mas segue sendo representado na sociedade familiar por seu filho, Neto Leopoldino. Em conjunto com o Gustavo Ribeiro, competente médico veterinário especializado em reprodução animal e gestão de fazendas, lideram um dos mais importantes programas de melhoramento genético de gado de corte do Brasil. Estado da arte da inovação, aplicado na prática da integração lavoura-pecuária. Mais de duas décadas de persistência, insistência, resiliência e propósito de produzir carne de alta qualidade com viabilidade econômica, eficiência e produtividade.

As Fazendas dos Leopoldino no Mato Grosso, por exemplo, foram as únicas fazendas de cria que conheci até hoje que não usam nenhum touro sequer. Isso mesmo, imaginem mais de 20 mil matrizes que passam por dois a três protocolos de IATF (Inseminação Artificial) e índice de desmama acima de 80% sem a presença de nenhum reprodutor para enxertar as matrizes. Números surpreendentes que tem que ver para crer!

A partir do jantar da sexta feira até o domingo, a teoria e a prova final da carne de qualidade se completaram com prosa de alto nível e degustação de diversas modalidades de churrasco. Da grelha ao fogo de chão. E durante o dia de campo para os mais de 500 convidados no sábado, a oportunidade de comprar cortes especiais com 100% da renda destinada Associação Pestalozzi de Água Boa. Ao final do evento só ficou o gostinho de quero mais. Resultado: 100% de liquidez do gado ofertado e 100% da carne consumida.

Clique aqui para conferir todas as #ColunasPlant.

TAGS: Boa Carne, Fazenda Califórnia, Fazenda Floresta