Sete tendências para o futuro da comida

O que você deve saber para definir o que vai produzir nos próximos anos


Edição 3 - 15.01.18

Com uma nova geração de consumidores trazendo novos hábitos alimentares e a tecnologia mudando a perspectiva da produção, é preciso ficar atento às tendências que vão nortear o mercado nos próximos anos. Veja as principais:

ALTERNATIVA: Orgânico ou transgênico? Proteína animal ou vegetal? O debate é quente, mas haverá avanços em todas as áreas. O novo consumidor quer ter o direito de escolher e, com novos mercados sendo abertos, todos podem sair ganhando.

TRANSPARÊNCIA: a nova geração quer saber mais sobre o que está comendo. Origem, forma e impacto ambiental da produção, todos os detalhes na cadeia produtiva. Os rótulos terão de trazer mais informação.

AGRICULTURA URBANA: espaços nas cidades (terrenos ou fazendas verticais) serão fundamentais para aumentar a oferta de alimentos nos próximos anos, com a vantagem da logística privilegiada. Também crescerá o cultivo doméstico de alimentos, utilizando áreas ociosas como telhados ou outros pequenos espaços indoor.

CONVENIÊNCIA: novos sistemas logísticos encurtarão a distância entre as lavouras e a mesa do consumidor. Empresas de delivery especializado trarão transformações também ao varejo.

DESIGN: novos alimentos são “desenhados” através de melhoramento genético para a produção de frutas, verduras e legumes mais adequados às necessidades do consumidor ou até mesmo para substituírem medicamentos.

CIÊNCIA À MESA: nos próximos anos deve haver um crescimento do investimento em pesquisa nas empresas e grandes universidades em todo o mundo.

Leia também: Prepare-se para o Futuro da Comida