“Rondônia é um estado em construção”

Governador Confúcio Aires Moura fala das vantagens de investir no estado


Edição 7 - 03.01.18

Qual a importância do agronegócio para a economia de Rondônia hoje?

É inegável que nesse momento de retração da economia brasileira, o agronegócio e sua produção diversificada tem colaborado para a manutenção do crescimento do estado. Recém-divulgado pelo IBGE, o PIB de Rondônia em 2015 somou 36,563 bilhões de reais, um acréscimo de 7,44% em relação a 2014, com crescimento acumulado de 79,4% desde que começou a série histórica em 2002. Rondônia observa um crescimento sustentável médio de 4,6% ao ano. A agropecuária rondoniense é promissora. O estado foi o sétimo colocado entre os grandes produtores brasileiros da pecuária bovina. Na aquicultura, manteve-se em primeiro lugar no ranking nacional. Na agricultura, o estado produz café, soja, milho, arroz e outros produtos das lavouras temporárias e permanentes.

Quais são as principais oportunidades para novos investidores?

Rondônia é um estado jovem e com inúmeras oportunidades para empreender: indústria do agronegócio, misturadora e processamento de fertilizantes, indústria do pescado, já que Rondônia é o maior produtor de peixe em cativeiro do Brasil, com produção anual atual de cerca de 90 mil toneladas. Também está geograficamente bem posicionado, podendo fornecer produtos para o mercado andino e os estados do Pará, Amazonas, Acre e Mato Grosso com grande facilidade. Também temos solos com topografia favorável à mecanização, férteis e com ótimos índices pluviométricos favorecendo a pecuária, a produção de grãos e a silvicultura. Enfim, é um estado em construção, com suas finanças no azul, sendo bem posicionado no Ranking Nacional, recebendo a melhor nota no Brasil pelo Ipea/STN com a nota “B+” em gestão fiscal, o que significa dizer que o estado tem boa capacidade de honrar suas dívidas de curto e longo prazos.

Quais são os principais incentivos dados pelo estado para atrair novas indústrias?

Rondônia conta com um excelente programa de incentivos fiscais para a instalação e ampliação de plantas industriais, podendo alcançar até 85% de crédito presumido do ICMS, o que representa uma carga tributária baixa e extremamente atrativa. Ademais, em Porto Velho contamos com um setor industrial com oferta de terrenos de forma não onerosa para a instalação de novos empreendimentos – tudo isso analisado e deliberado no âmbito do Conselho de Desenvolvimento do Estado de Rondônia (Conder), que é um conselho multidisciplinar que tem representantes do estado e de vários segmentos da sociedade como bancos estatais, federações empresarias, entre outros.

Rondônia possui uma localização privilegiada, com acesso à rodovia Transoceânica e portos que facilitam o escoamento da produção. Existe algum plano para aumentar as exportações do estado?

O estado conta com um porto estatal e diversos portos particulares às margens do Rio Madeira, considerado a maior hidrovia do Brasil. Desses portos podemos alcançar os portos de Itacoatiara e Manaus, no Amazonas, Pará, a costa brasileira e o mundo. Atualmente, estamos pavimentando duas rodovias estaduais que dão acesso aos novos portos em construção na região. Está em estudo também a implantação de uma Zona de Processamento de Exportação visando o fomento à atividade. Corroborando com esses investimentos estruturais, há programas governamentais de incentivo e melhoria da produção de leite e derivados laticínios, café para exportação, fomento à melhoria genética do plantel pecuário e o programa pró-calcário, que visa a melhoria de qualidade dos solos para a produção de grãos para exportação.

TAGS: Confúcio Moura, Fronteira, Rondônia